Dia Internacional da Conscientização do Vitiligo

Dia Internacional da Conscientização do Vitiligo

O vitiligo é uma patologia cutânea adquirida, de causa desconhecida, que é caracteriza por máculas (manchas) branco – nacaradas, de formas e tamanhos diferentes. Acomete ambos sexos, todas as raças e em qualquer idade. A média de idade para surgimento, é em torno dos 20 anos.

 

Os principais fatores etiopatogênicos são:

1. Herança genética, gene autossômico dominante ou recessivo e multifatorial;

2. Doença auto-imune devido à associação positiva com algumas doenças como tireoidites, diabetes mellitus e alopecia areata.1 Tem sido relatada associação com HLA – DR4; também DW7, DR1, B13, A2, B21, CW6, DR53, A19 e DR52.

3. Fatores ambientais, acredita-se que stress, exposição solar intensa e alguns pesticidas, podem favorecer o surgimento da patologia, para indivíduos que tenham predisposição genética.

As manchas iniciais do vitiligo, no início são hipocrômicas, e eu são notadas em área de exposição solar como dorso das mãos, face, e ao redor de olhos, boca, nariz, os pelos também podem ser acometidos.

Clinicamente pode ser classificado em:

Vitiligo localizado

• Focal: presença de uma ou mais máculas acrômicas em uma determinada área, sem distribuição específica.

• Segmentar: presença de uma ou mais máculas acrômicas envolvendo um segmento unilateral do corpo, freqüentemente seguindo a distribuição de um dermátomo.

Vitiligo generalizado

• Acrofacial: presença de lesões típicas na parte distal das extremidades e face.

• Vulgar: máculas acrômicas de distribuição aleatória.

• Mista: acrofacial e vulgar, segmentar e acrofacial e/ou vulgar.

Vitiligo universal: despigmentação de mais de 50% da pele e/ou mucosa.

É uma patologia que causa muitos impactos psicossociais, inclusive levando o paciente ao isolamento social.

As principais formas de tratamento são:

– Esteróides

– Fotoquimioterapia

– Medicamentos (orais e tópicos)

– Helioterapia

– UVB

– Antioxidantes

– Imunomoduladores

 

A micropigmentação é uma alternativa para cobrir as áreas de vitiligo.

O uso do FPS é de fundamental importância e a orientação de não exposição solar de maneira excessiva, também é uma orientação que deve ser seguida.

 

Dra. Paula França

Fisioterapeuta Dermartofuncional

Especializada em Oncologia, Fisioterapia Vascular e Pós Operatório de Cirurgia Plástica Estética, Reparadora e Reconstrutora

CREFITO 3/ 67666-F

 

REFERÊNCIAS

BYSTRYN, J.C. & (1997) Immune mechanisms in vitiligo. Clin Dermatol 1993;15:853-861

STEINER, Denise et al . Vitiligo. An. Bras. Dermatol., Rio de Janeiro , v. 79, n. 3, p. 335-351, May 2004

HAND SK, LEE HJ. Segmental vitiligo: clinical findings in 208 patients. J Am Acad Dermatol 1996;36:671-674.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Abrir Chat
Alguma dúvida? Te ajudamos!
Alguma dúvida? Te ajudamos!

Com apenas um clique fale com nossa equipe e facilite seu atendimento.